Facebook Twitter YouTube
A agilidade do jornalismo online.
Visão Notícias - Informações de Marília e região
Visão Notícias - Informações de Marília e região

Informações de Marília e região

- Marília/SP

Postado em 24/01/2019 às 20:27

Justiça de Marília acata denúncia principal da Operação Miragem

  • O grupo CMN foi fechado durante operação da Polícia Federal.

Processo envolve 10 pessoas, entre elas os ex-prefeitos Abelardo e Vinicius Camarinha, e envolve o controle da CMN (Central Marília Notícias). Pai e filho dizem que não há crime.

A Justiça Federal de Marília divulgou o despacho do juiz Antônio Ribeiro Marins com o recebimento da denúncia principal da Operação Miragem, que investiga uma série de crimes em torno da posse e controle da Central Marília Notícias, conglomerado que inclui as rádios Diário FM e Dirceu AM e o Jornal Diário.

Essa é a primeira movimentação desde a deflagração da Operação Miragem, em agosto de 2016. O ato da Justiça de Marília abre prazo de 10 dias para que os ex-prefeitos Abelardo Camarinha e Vinicius Camarinha, além dos outros oito investigados, apresentem manifestações para tramitação no processo.

Abelardo e Vinicius Camarinha afirmam que não há crime e vão apresentar suas versões na justiça.

Em nota, o ex-deputado estadual Abelardo Camarinha e o atual deputado estadual Vinicius Camarinha, ambos do PSB, "afirmam que não há nenhum crime e que esta é a oportunidade de, em juízo, os acusados apresentarem suas versões".

No início de 2017, a Polícia Federal (PF) cumpriu mandados em Marília durante segunda fase da operação. Na ocasião, os agentes suspenderam as atividades do jornal impresso que funcionava no mesmo local onde duas rádios haviam sido fechadas cinco meses antes.

Em maio do mesmo ano, o Ministério Público Federal (MPF) denunciou ex-prefeito Vinicius Camarinha por usar “laranjas” para ocultar propriedade de meios de comunicação. Seu pai, Abelardo Camarinha, também foi denunciado.

O MPF já pediu que a atual tramitação aproveite os atos já adotados pelo Tribunal Regional Federal, onde o caso tramitou até novembro de 2018 até ser redistribuído por perda do foro privilegiado para o ex-deputado Abelardo Camarinha.

Com o processo principal já tramitam outros oito procedimentos específicos sobre lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e coação contra a testemunha Sandra Mara Norbiato. Ela não está incluída na denúncia. Fonte: G-1

 

© Copyright 2017. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso sem autorização escrita do visaonoticias.com
Desenvolvido por StrikeOn