Capturado pela PRF no Paraná, acusado de matar mulher ainda não está em Marília

Compartilhe:

Vai depender de procedimentos judiciais e das polícias do PR e SP

Após percorrer cerca de 500 quilômetros, cujo destino final seria o Paraguai, o homem de 56 anos acusado de matar com diversas facadas uma mulher em Marília, foi preso ontem à noite pela Polícia Rodoviária Federal no estado do Paraná. Apesar de preso, ele ainda não tem previsão de ser removido para a cidade onde cometeu o crime, pois depende de procedimentos jurídicos e policiais.

O crime ocorreu na madrugada de domingo, em um condomínio de apartamentos localizado na rua Nelson Macera, no jardim América, zona oeste da cidade. A vítima, a cabeleireira Adriana da Penha Gonzaga (foto), de 50 anos, foi morta a facadas, após gritar por socorro.

Vizinhos correram ao local e ainda se depararam com o acusado pelo crime que conseguiu fugir usando o próprio carro' da vítima. Adriana chegou a ser socorrida pelo SAMU, porém morreu no Hospital das Clínicas.

Fuga para o Paraguai

O veículo foi rastreado por radares e câmeras de segurança dos pedágios.

Graças a tecnologia implantada nos radares, as polícias Militar e Civil passaram a monitorar os passos do acusado pelo crime. Nas primeiras horas, ele permaneceu na própria cidade. Mas, logo entendeu que a única forma de escapar da prisão seria fugir para o Paraguai, onde sua localização poderia ser mais difícil

Veículo ao ser interceptado pela PRF já no Paraná.

Todavia, o veículo continuou sendo rastreado até que foi interceptado pela Polícia Rodoviária Federal na BR-272, em Francisco Alves/PR (a pouco mais de 500 km de Marília), quando faltavam cerca de 240 km até a fronteira.

Após ser preso, o homem foi encaminhado à Polícia Civil de Guaíra. Agora vai passar por todos os procedimentos legais: ser apresentado em audiência de custódia (seria feito ainda nesta segunda-feira) e posteriormente tratativas da Polícia Civil dos dois Estados para decidir como será feita a sua transferência para Marília, onde será julgado pelo crime. 

Receba nossas notícias no seu celular: Clique Aqui.
Envie-nos sugestões de matérias: (14) 99688-7288

Desenvolvido por StrikeOn.