A agilidade do jornalismo online.
Visão Notícias - Informações de Marília e região
Visão Notícias - Informações de Marília e região

Informações de Marília e região

- Marília/SP

Postado em 10/09/2021 às 17:20

A ansiedade é um monstro que se alimenta da nossa adrenalina

A ansiedade é um monstro que se alimenta da nossa adrenalina, enquanto a adrenalina é uma substância que nosso corpo libera quando sente que há algum perigo no ambiente e quer nos preparar para que nos protejamos.

Um exemplo: a adrenalina também é liberada quando, de repente, escorregamos ao descer as escadas ou quando o óleo salpica da frigideira enquanto fazemos o jantar.

No entanto, no mesmo instante em que a adrenalina é liberada, o monstro da ansiedade desperta, pois ele também faz parte deste instinto de proteção, contribuindo, assim, para que nos agarremos ao corrimão e procuremos manter o equilíbrio antes de cairmos na escada.

Mas, infelizmente algumas vezes o monstro da ansiedade desperta e já não consegue voltar a dormir. Então ele fica dentro de nós se alimentando da adrenalina que liberamos, enquanto nós continuamos sentindo o coração acelerado e o susto em nosso corpo.

Enquanto o monstro continua tendo adrenalina para se alimentar, o sentiremos dentro de nós. No entanto, uma vez que não estivermos em uma situação de perigo, o monstro, sabendo que suas reservas de adrenalina estão se esgotando, hibernará por escassez de alimento.

Acontece que, às vezes, o monstro da ansiedade nos dá tanto medo que lutamos para que ele vá embora de nosso corpo, gritamos dizendo que não o queremos, que não o aceitamos e que ele não deveria estar dentro de nós.

Essa batalha psicológica faz com que o nosso corpo libere outra dose de adrenalina, só que dessa vez não há um perigo real que a justifique, e sim um monstro que está ansioso para se alimentar cada vez mais.

Então, graças ao excesso de adrenalina, o monstro da ansiedade se torna enorme e tremendamente agressivo. Ameaçador, grita dizendo que vai paralisar nosso coração, que ressecará nossa garganta ou que devorará nosso cérebro.

Ele não pode fazer isso, mas diz isso para nós cada vez mais alto, porque sabe que assim o ouvimos melhor e consegue obter mais alimento emocional, mais adrenalina. Então impregna nosso dia a dia com uma fome insaciável que sabe que, como súditos, vamos aplacar se ele se fizer notar.

O monstro da ansiedade só pode assustar nosso corpo. Como vemos, ele representa uma forma natural nossa de agir diante de algo que nosso corpo ou nossa mente entendem como perigo imediato.

No entanto, quando ele obtém nossa atenção, se descompensa e se encoraja, pois entende que somos nós quem reclamamos por ele e o convidamos para agir e crescer de forma descontrolada.

© Copyright 2017. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso sem autorização escrita do visaonoticias.com
Desenvolvido por StrikeOn