A agilidade do jornalismo online.
Visão Notícias - Informações de Marília e região
Visão Notícias - Informações de Marília e região

Informações de Marília e região

- Marília/SP

Postado em 27/05/2021 às 20:30

Sobrinha estuprada pelo tio: 'Me fez perder a virgindade aos 4 anos'

Em entrevista, a jovem, hoje com 22 anos, contou sobre momentos de pânico causados por alguém que deveria cuidar e protegê-la.

Prestes a se formar em pedagogia, aos 22 anos, uma jovem brasiliense ainda busca forças para superar os traumas que feriram seu corpo e deixaram marcas profundas na alma. Ela foi estuprada pelo próprio tio, seguidamente, entre 2003 e 2010.

O pedófilo foi preso após cumprimento de uma decisão condenatória pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) do Distrito Federal.

Os abusos começaram quando ela tinha entre 3 e 4 anos: “Minha mãe trabalhava então, eu ficava com minha avó materna, e meu tio morava naquela casa”.

O criminoso esperava o momento certo para atacar e contava com a confiança de todos os familiares, que jamais imaginariam os estupros que estavam sendo cometidos. “Um dia, no meio da noite ele passou o pênis dele na minha vagina. Essa foi a primeira vez”, lembrou, com a voz embargada. 

Ela decidiu contar a sua história para evitar que o mesmo aconteça com outras crianças. No início dos abusos, a menina não fazia ideia do que estava ocorrendo. Com o intuito de atrair a atenção da garotinha, o pedófilo oferecia doces para, assim, ter a chance de cometer a violência sexual. 

“Ele chegava a introduzir o pênis dele na minha vagina. Quando fiquei maior, ele começou com as ameaças. Falava que minha mãe não iria acreditar em mim ou que iria bater em mim e na minha mãe. Quando contei tudo para ela eu já tinha 10 anos e ele devia ter uns 27”, recorda-se.

A jovem não soube precisar quantas vezes foi estuprada ao longo dos sete anos em que esteve perto do tio. “Ele consumia o estupro na maioria das vezes que vinha até mim. Outras vezes, quando alguém chegava perto ele parava”, disse.

Para tentar escapar da violência, a menina passou a inventar desculpas para não acompanhar a família até a casa do agressor.

Mesmo depois de se casar e ter duas filhas, o pedófilo manteve a rotina de estupros cometidos contra a sobrinha. 

Após a prisão do agressor, (pena de 14 anos), a jovem experimentou uma mistura de sentimentos. “Sinceramente, o que eu mais sinto é medo, pois, infelizmente, a nossa Justiça é muito falha. Tenho medo de ele sair da cadeia e tentar algo contra minha família e contra mim”, desabafou.

 

© Copyright 2017. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso sem autorização escrita do visaonoticias.com
Desenvolvido por StrikeOn