A agilidade do jornalismo online.
Visão Notícias - Informações de Marília e região
Visão Notícias - Informações de Marília e região

Informações de Marília e região

- Marília/SP

Postado em 07/04/2021 às 18:57

Covid-19: sem comorbidades, jovem de 27 anos morre meses antes de se casar

Ketherin Bracciali, de 27 anos, é mais uma vítima da Covid-19. Ela não resistiu as complicações e morreu em menos de trinta dias após sentir os primeiros sintomas da doença.

Ela fez aniversário durante a internação para tratamento da doença e estava com o casamento marcado para o dia 9 de setembro. Ainda tentando lidar com a perda precoce da filha, Rosangela Bracciali, moradora em São José do Rio Preto, afirma que Ketherin era totalmente saudável e respeitava rigorosamente as regras de prevenção à Covid-19.

"Foi dilacerante. Minha filha nunca bebeu e fumou. Não tinha comorbidade nenhuma. Ela se cuidava. Não ia para balada, mas pegou", diz Rosangela.

SINTOMAS: Ketherin começou a apresentar os sintomas há mais ou menos três semanas. Se queixando de dores nos joelhos e, em seguida, na garganta.

Ela foi levada a uma Unidade Básica de Saúde (UBS), fez o teste e após ser medicada foi liberada.

Ao retornar para casa, porém, apresentou falta de ar e precisou procurar atendimento novamente. Até então, não tinha descoberto que o resultado do exame feito dias atrás tinha resultado positivo para Covid-19.

No dia 24 de março, ainda internada a jovem completou 27 anos e se mostrou muito preocupada porque toda a família também tinha testado positivo para o novo coronavírus.

A mãe da jovem conta que a filha foi transferida para outras duas Unidades de Pronto Atendimento e precisou ser intubada.

"Foi tudo muito rápido. Descobrimos que minha filha sofreu uma parada cardíaca por conta da doença. Me chamaram para buscar o anel de noivado dela e recebi a notícia de que os pulmões dela estavam comprometidos", relata.

No domingo, 4 de abril, Ketherin faleceu com 75% dos pulmões comprometidos pela doença.

 

"Minha filha era uma menina alegre, positiva, gostava de ver todos felizes e se preocupava muito. Ela tinha álcool em gel em todos os lugares, respeitava o distanciamento, usava máscara. Realmente não sabemos de onde a doença surgiu", complementa a mãe. (Com informação do G1)

 

© Copyright 2017. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso sem autorização escrita do visaonoticias.com
Desenvolvido por StrikeOn