A agilidade do jornalismo online.
Visão Notícias - Informações de Marília e região
Visão Notícias - Informações de Marília e região

Informações de Marília e região

- Marília/SP

Postado em 26/11/2014 às 13:06

Atletas adotam cão companheiro da Amazônia

  • Aventura e um fiél companheiro. (ampliar)

Carência? fome? Gratidão? O que explica essa história de amizade?


Quatro atletas suecos, que participavam do Campeonato Mundial de Corrida de Aventura, no meio da Floresta Amazônica, cativaram um cachorro de rua a ponto do bichinho não largar mais deles por dezenas de quilômetros.



A dois trechos do fim da prova eles sentaram para comer almôndegas e o cãozinho se aproximou. Ele apenas observou a refeição com cara de fome. A equipe dividiu, então, o "prato" com ele.


Foi o suficiente para que o cachorro seguisse os atletas passando por rios, enfrentando correntezas, subindo montanhas e encarando todos os desafios da corrida.


Ao final da prova, junto com os suecos, chegou também o "fiel companheiro" deles, que foi batizado como Arthur e acabou sendo adotado pelos atletas.

 

Adoção
Eles levaram o cão ao veterinário para tratar as feridas adquiridas depois de toda a aventura. Depois, levaram Arthur no voo de volta para a Suécia, onde foi adotado por um dos membros da equipe.

"Vim para o Equador para ganhar o Mundial e acabei ganhando um amigo", disse Mikael Lindnord, capitão do grupo.

 

Aventuras
A corrida de aventura é um esporte radical que combina caminhada, trilhas, mountain bike e canoagem, ao longo de vários dias.

O campeonato mundial realizado no Equador cobriu três diferentes regiões geográficas - a Cordilheira dos Andes, o Oceano Pacífico e a Floresta Amazônica.


Em um certo momento, durante uma caminhada, os atletas pararam para descansar e viram que o cachorro estava completamente acabado.


Eles abriram duas latas de comida e deram para ele comer. Recuperado, Arthur seguiu a jornada.

 

O cachorro até mesmo nadou enquanto os atletas desciam um rio de caiaque. Foi no início de uma das partes mais críticas da prova – um percurso de 57 km pelo rio.



Os organizadores alertaram a equipe dizendo que seria perigoso levar Arthur. Temendo por sua segurança, o time tentou partir sem Arthur, mas o cão pulou na água ao lado deles e começou a nadar.  O capitão da equipe, Mikael Lindord, então, pegou o cachorro, colocou-o no caiaque junto com a equipe e permitiu que ele ficasse ali pelo resto da viagem.


Assim, Arthur acompanhou a equipe sueca até o fim e, como "prêmio", acabou ganhando uma nova casa. Os atletas o levaram para a Suécia e contaram a saga do "fiel companheiro" que encontraram na floresta pelas redes sociais.

 

© Copyright 2017. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso sem autorização escrita do visaonoticias.com
Desenvolvido por StrikeOn