Visão Notícias
Postado em 29/07/2020 às 11:00
Estudante picado por naja que criava em casa é preso em Brasília
Foto: No momento da prisão pedro faz gesto obsceno aos jornalistas

O estudante de medicina veterinária Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkuhl, foi preso na manhã desta quarta-feira, após mandado de prisão ser cumprido, no apartamento onde ele mora com a mãe e o padrasto, o coronel da Polícia Militar do Distrito Federal, Clovis Eduardo Condi. O casal também é investigado por suposto crime ambiental e ocultação de provas.

O estudante, de 22 anos, entrou na mira da Polícia Civil após ser picado por uma cobra Naja kaouthia que criava como animal de estimação, apesar de a serpente não ser natural de nenhum habitat brasileiro.

A suspeita é que o animal tenha sido trazido para o Distrito Federal a partir de uma licença irregular, emitida por uma servidora do próprio Ibama, que já foi afastada do cargo.

Pedro Krambeck

Os investigadores constataram indícios de que Pedro, com outros investigados, estaria envolvido em uma associação criminosa responsável, entre outras condutas, pela destruição das provas relacionadas aos crimes ambientais.

Na saída de casa, no Guará, Pedro mostrou o dedo do meio para a imprensa e um termo circunstanciado foi lavrado contra o rapaz, que vai responder pelo gesto obsceno dirigido aos jornalistas.

caso naja

RELEMBRE O CASO:

Pedro foi picado pela Naja no dia 7 de julho. Levado ao Hospital Maria Auxiliadora, no Gama, chegou a ficar internado, em coma na UTI. Precisou receber soro antiofídico, enviado pelo Instituto Butantan, de São Paulo.

Assim que foi picado pela serpente, o amigo Gabriel Ribeiro, 24, que também está preso, tentou esconder os animais clandestinos que Pedro criava. A Naja, além de outras 16 serpentes foram localizadas.

 

Acusado é apontado como traficante de animais.

Desenvolvido por StrikeOn.
© 2015 - Visão Notícias. Todos os Direitos Reservados.