Visão Notícias
Postado em 05/05/2017 às 11:05
Com salários atrasados, funcionários de metalúrgica entram em greve
Paralisação atingiu o setor de produção da indústria e durou cerca de uma hora e meia.

Os funcionários da indústria metalúrgica Brunnschweiler, na zona norte de Marília, fizeram uma paralisação relâmpago nesta manhã (05) em protesto contra atraso nos pagamentos. Houve uma reunião de emergência e, com a promessa de quitar do vale de abril até o dia 11, os operários retornaram ao trabalho. A informação foi confirmada por um representante da empresa que às 11h40 ligou para a redação do portal Visão Notícias.

Funcionários cruzaram os braços por 1h30.

Localizada no distrito industrial, a Brunnschweiler produz equipamentos industriais de grande porte e conta atualmente com cerca de 200 empregados.

Preocupados com a falta de informação sobre os pagamentos em atraso (vale do dia 20 de abril e também o salário de maio - deveria ter sido pago dia 5), eles decidiram cruzar os braços por volta das 10h. A greve foi "relâmpago", sem a participação do próprio sindicato da categoria.

"A gente queria uma informação sobre esses pagamentos, mas ninguém falava com nós. A greve foi a única forma que encontramos para que alguém falar sobre o que está acontecendo", afirmou um dos funcionários. Segundo ele, os atrasos nos pagamentos estão ocorrendo desde o início do ano, mas se agravou desde o mês passado e, sem uma perspectiva de pagamento decidiram cruzar os braços.

PROMESSA - Uma hora após a paralisação, um diretor da empresa chamou os funcionários para conversar e prometeu que o vale de abril será pago no dia 11. "Sobre o salário de maio, não disseram quando vão pagar, mas mesmo assim a gente decidiu voltar ao trabalho", disse outro empregado. A indústria voltou a operar por volta das 11h30.

O Visão Notícias manteve contato com a Brunnschweiler ainda durante a greve relâmpago, mas a telefonista informou que nenhum diretor teria condições de falar com a imprensa.

Às 11h40, um representante da empresa ligou e tentou desmentir a greve. "O que houve foi uma reunião periódica", afirmou. Segundo ele (pediu para não ter o nome divulgado) os salários "serão saldados na próxima semana", sem dar mais detalhes, ou seja,  apenas o vale ou também o pagamento de maio.

Desenvolvido por StrikeOn.
© 2015 - Visão Notícias. Todos os Direitos Reservados.