Facebook Twitter YouTube
A agilidade do jornalismo online.
Visão Notícias - Informações de Marília e região
Visão Notícias - Informações de Marília e região

Informações de Marília e região

- Marília/SP

Postado em 18/12/2019 às 16:00

Após Tribunal de Contas julgar compra irregular, Parque Aquático será vendido para pagar dívidas

Licitação termina nesta quinta-feira, às 9h. Imóvel foi comprado por R$ 2,1 milhões, mas ficou abandonado na gestão do ex-prefeito Vinicius Camarinha

Após o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo julgar irregular a compra do Parque Aquático Municipal, no segundo semestre de 2008 e que foi abandonado durante a gestão do ex-prefeito Vinicius Camarinha, a Prefeitura de Marília decidiu abrir licitação para a venda do imóvel, com objetivo de auxiliar na recomposição dos déficits previdenciários junto ao Ipremm (Instituto de Previdência do Município de Marília).

Localizado próximo ao bairro Flamingo, na zona oeste da cidade, o parque aquático foi comprado na época pelo valor de R$ 2,1 milhões para funcionamento como centro de recreação e lazer da população, mas, devido ao abandono e, portanto, sem a utilização que havia sido prevista na compra, será vendido. 

A área total, com quase 100 mil metros quadrados, está avaliada inicialmente em R$ 4,6 milhões (exceto toboáguas). A licitação será encerrada nesta quinta-feira, com abertura dos envelopes às 9h10, na Divisão de Licitação (av. Santo Antônio, 2.377).

Abandono do Parque Aquático. Agora, imóvel será vendido para pagar dívidas públicas

Dívida milionária

Assim que assumiu a administração municipal, em 2017, o prefeito Daniel Alonso herdou uma dívida do Ipremm que chegava a quase R$ 200 milhões. Com um choque de gestão, ele conseguiu negociar o pagamento desse valor, com um parcelamento que vem sendo cumprido em dia.

Prefeito Daniel com a presidente do Ipremm, Mônica Regina da Silva.

No final do ano passado, num esforço conjunto entre a equipe do Ipremm, procuradores e Prefeitura, o Instituto conquistou a CRP (Certidão de Regularidade Previdenciária). 

Com esse título, o município ficou apto a receber verbas federais e conseguiu realizar financiamentos e a renegociação dos débitos.

Na mesma época, a Prefeitura conquistou, em juízo, uma decisão favorável ao Ipremm, que resultou em curto prazo, na liberação da Comprev (Compensação Previdenciária). O valor recebido foi de cerca de R$ 22 milhões. 

Com esse trabalho pela recuperação da capacidade financeira do Instituto, a Prefeitura garantiu que nenhum aposentado do município ficasse sem o benefício.

 

© Copyright 2017. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso sem autorização escrita do visaonoticias.com
Desenvolvido por StrikeOn