Facebook Twitter YouTube
A agilidade do jornalismo online.
Visão Notícias - Informações de Marília e região
Visão Notícias - Informações de Marília e região

Informações de Marília e região

- Marília/SP

Postado em 14/04/2019 às 08:00

Semana de mobilização contra o Aedes aegypti movimenta dezenas de escolas municipais

  • Passeata realizada pelos alunos da EMEI "Beija Flor"

Ação faz parte do PSE (Programa Saúde nas Escolas) desenvolvido em Marília por duas secretarias municipais

A semana foi marcada em Marília pela mobilização contra o mosquito Aedes aegipty entre os estudantes da rede pública municipal em todos os níveis de ensino. A programação foi realizada pelo PSE (Programa Saúde na Escola), por meio das secretarias municipais da Saúde e da Educação, com envolvimento de mais de 60 estabelecimentos de ensino e cerca de 20 mil alunos.

Teatro, oficinas de pinturas e colagem, passeatas, distribuição de panfletos, bate-papo com profissionais da saúde, entre outras ações, agitaram as escolas. As atividades aconteceram entre segunda (08) e esta sexta-feira (12).

Alunos da EMEF Roberto Cimino também participaram da mobilização.

Algumas escolas estaduais integradas pelo PSE e colégios particulares da cidade também aderiram à programação. Outros estabelecimentos estaduais manifestaram interesse de realizar ações relacionadas ao tema.

A enfermeira Alessandra Arrigoni Mosquini, supervisora da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal da Saúde, afirmou que esse tipo de movimento é fundamental para difundir informação, principalmente com uma abordagem estratégica.

Nós adultos somos tentados a crer que já sabemos demais. As crianças não. Elas têm uma relação mais aberta ao aprendizado e estão nos ajudando a lembrar a população, por exemplo, que os ralos dos banheiros e dos quintais exigem cuidados, que o mosquito pode se reproduzir atrás das geladeiras (reservatórios) ou que basta uma simples tampinha de garrafa para que a fêmea bote seus ovos”, exemplifica.

A supervisora de Educação Básica, Aline Talavêras, da Secretaria Municipal da Educação, lembra que as escolas tiveram autonomia para desenvolver as atividades, de acordo com o tema.

O que vimos foi muita criatividade, muita interação ‘Saúde-Escola’ e muitas lições para nós, adultos”, disse a educadora.

 

© Copyright 2017. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso sem autorização escrita do visaonoticias.com
Desenvolvido por StrikeOn