Facebook Twitter YouTube
A agilidade do jornalismo online.
Visão Notícias - Informações de Marília e região
Visão Notícias - Informações de Marília e região

Informações de Marília e região

- Marília/SP

Postado em 24/07/2018 às 17:46

Prefeito Daniel propõe estudo técnico de outras áreas para implantação do AME

  • Daniel endurece o discurso e não aceita "jogada política" na implantação do AME.

A implantação do AME (Ambulatório Médico de Especialidades) em Marília teve mais um dia de polêmica hoje. O prefeito Daniel Alonso convocou uma entrevista coletiva à imprensa para anunciar que está apresentando uma contraproposta para a instalação, ou seja, que a equipe técnica do Estado faça um estudo completo de todas as áreas (tanto do Estado como do Município) e não apenas do antigo bloco X da Unimar.

Na entrevista, Daniel até que tentou ser ponderado, mas se disse indignado pela forma com que o deputado Abelardo Camarinha e o ex-prefeito Vinicius Camarinha (assessor direto do governador Márcio França) apresentaram a proposta de implantação do AME, ou seja, que a Prefeitura desse uma resposta "as seis da tarde numa sexta-feira", tendo como exigência que fosse no referido bloco que hoje pertence ao Município.

O AME estava previsto para ser instalado no antigo prédio do CEFAM

O prefeito explicou que o referido imóvel deve ter outras finalidades (inclusive venda para pagar a dívida do IPREMM; ou instalação provisória do Parque Tecnológico).

Segundo ele, o estudo técnico feito pelo Estado apontava o antigo CEFAM (vila Jardim) como área escolhida para implantação do ambulatório. 

Hoje mesmo o chefe do Executivo enviou ofícios ao Estado (governador, secretário e diretora da Regional de Saúde) propondo a realização desse estudo.

Ofício encaminhado ao governador.

Além disso, disse que se tiver oportunidade pretende discutir pessoalmente o assunto com o governador Márcio França.

Se ao final, tudo indicar para o bloco X o local ideal de instalação (como quer o deputado Camarinha e Vinicius) poderá ceder.

Daniel Alonso acha quase impossível que a implantação ocorra até o fim do ano, conforme promessa que recebeu pois não há dotação orçamentária do Estado  para essa finalidade.

Dessa forma, acredita que tudo não passa de uma "jogada política" às vésperas das eleições.

Confira a entrevista coletiva:

© Copyright 2017. É proibida a reprodução do conteúdo dessa página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso sem autorização escrita do visaonoticias.com
Desenvolvido por StrikeOn