Visão Notícias
Postado em 17/07/2019 às 15:00
Marilienses são multados em R$ 10 mil por manter aves silvestres em cativeiro

Operações foram realizadas pela Polícia Ambiental que localizou 13 aves nativas. Na região, outras 16 também foram apreendidas pelo mesmo motivo.

Criar "passarinho em casa" pode ser uma espécie de "terapia", mas esse tipo de prática pode dar uma tremenda dor de cabeça, principalmente se não for levado em conta a espécie escolhida. Aves nativas são alvo de constantes operações da Polícia Ambiental e nas últimas horas dois criadores de Marília foram multados em R$ 10 mil.

Aves apreendidas na Chácara São Carlos

Nesta manhã, a equipe recebeu denúncia de pássaros em castiveiro no bairro Chácara São Carlos, zona oeste da cidade.

No local, foram encontradas oito aves das espécies trinca ferro, coleirinho, canário da terra, bigodinho e sabia. O dono recebeu multa de R$ 4 mil e ainda poderá ser condenado por crime ambiental.

Criador estava com cinco aves, uma delas com as penas das asas cortadas.

A mesma situação ocorreu com outro criador mariliense que estava com cinco pássados da fauna silvestre nativa (três canários da terra verdadeiro, um gralha do campo e um periquitão Maracanã - estava com as penas das asas cortadas) que estavam acondicionados em gaiolas individuais, sem anilhas de identificação e com sinais claros de recém captura. Ele foi multado em R$ 6 mil.

A terceira ocorrência foi registrada em Salto Grande, na região de Ourinhos, com um total de 16 aves silvestres em situação irregular.

O criador levou três multas que totalizaram R$ 11 mil porque mantinha em cativeiro pássaros que haviam sido recentemente capturados, inclusive um deles estava ferido ao se debater na gaiola, sendo encaminhado para tratamento veterinário.

Após a elaboração da ocorrência, as demais aves foram soltas.

Em Salto Grande, os policiais ambientais apreenderam 16 pássaros.

Compartilhe |
Desenvolvido por StrikeOn.
© 2015 - Visão Notícias. Todos os Direitos Reservados.