Visão Notícias
Postado em 05/10/2016 às 01:57
Divulgado nome do agente morto durante rebelião. Mais 5 ficaram feridos e 18 menores fugiram

Foi confirmado há pouco (2h) o nome do funcionário da Fundação Casa que foi morto com extrema violência durante rebelião. Trata-se de Francisco Carlos Calixto, que estava fazendo aniversário justamente no dia da sua morte (51 anos) e morava em Marília. A rebelião durou cerca de duas horas. Mais cinco agentes sofreram ferimentos (dois com mais gravidade), pelo menos 10 pessoas foram feitas reféns e cerca de 18 adolescentes conseguiram fugir antes da chegada da Polícia Militar.

Serviço funerários chega para retirar o corpo do agente morto.

A rebelião começou pouco antes das 21h, após um ato religioso no interior da unidade. Informações obtidas há pouco (3h) pelo portal Visão Notícias.com são de que Francisco e outro colega estavam cuidando da ala dos internos de 12 a 16 anos.

Por motivos ainda desconhecidos, os internos da ala dos "mais velhos" (acima de 16 anos) resolveram invadir aquele local e, na confusão, agrediram os funcionários e fizeram os voluntários de uma igreja reféns.

Francisco Calixto foi agarrado por três adolescentes enquanto que outro lhe golpeou na garganta com um cabo de vassoura, causando-lhe a morte no local.

Local onde o agente foi agredido até a morte.

Dos cinco agentes feridos, quatro foram socorridos pelo SAMU (três para a Santa Casa e outro para o Hospital das Clínicas), enquanto que a quinta vítima levada pelo Resgate do Corpo de Bombeiros ao HC (segundo consta, com ferimentos graves ao ter introduzido uma caneta em um dos ouvidos).

Veja também:

Polícia põe fim em rebelião na Fundação Casa. Agente foi morto de maneira brutal

TROPA DE CHOQUE - A tropa de choque da Polícia Militar foi acionada, mas não houve confronto. Os menores recuaram e concordaram com a entrada dos policiais que resgataram os reféns e os funcionários feridos (todos são de Marília), bem como reconduziram os menores para as celas.

Tropa de choque foi acionada, mas não precisou intervir.

Dois adolescentes foram indicados como sendo participantes do assassinato do agente (inclusive o que aplicou o golpe - teria 17 anos e mora na zona Sul, em Marília).

Mas, a Polícia Militar já identificou cinco envolvidos no crime (inclusive um maior de idade) e que estão sendo apresentados na Central de Polícia Judiciária. isso sem falar nos outros dois que estão foragidos.

O delegado da DIG, Valdir Tramontini, esteve no local para apurar mais detalhes do crime. Ele informou que entre os 18 internos que fugiram dois também teriam participado da morte. Os motivos da rebelião ainda serão apurados pela Polícia Civil.

O comandante da PM em Marília, tenente-coronel Marcelo Martins, confirmou que não houve confronto entre os internos e a tropa de choque. A pedido do diretor da Fundação Casa, os policiais fizeram uma varredura nas instalações.

Entrevistas com o delegado da DIG, Valdir Tramontini, e com o tenente-coronel, Marcelo Martins que fazem um balanço da rebelião na Fundação Casa em Marília:

Compartilhe |
Desenvolvido por StrikeOn.
© 2015 - Visão Notícias. Todos os Direitos Reservados.